saiba mais

As Oficinas Arte-Ylê proporcionam ao público uma vivência das culturas de matriz africana por meio da técnica de tranças e nós em tecidos de fibras naturais, para a confecção de bonecas de pano Abayomi, que são vestidas com retalhos contendo delicadas estampas coloridas. Ao longo do encontro os participantes aprendem muito mais do que a técnica que dá forma às bonecas: desenvolvem habilidades como criatividade, coordenação motora e criação coletiva, mobilizando memórias afetivas, referências estéticas e trajetórias de vida. Enquanto aprendem mais sobre a fascinante história das famosas Abayomi, uma história que remonta à Diáspora Africana e o Brasil Colônia, os participantes são convidados a celebrar a multiculturalidade brasileira e a sustentabilidade das práticas artísticas ligadas à economia criativa. Sendo assim, as Oficinas da Matintah Pereira objetivam promover o respeito e a proteção de direitos humanos e liberdades fundamentais através da inclusão e do combate à intolerância.

Público-alvo


É composto por educadores e estudantes, famílias, artistas e artesãos, agentes sociais, agitadores culturais e demais pessoas interessadas nas reflexões acerca da diversidade cultural brasileira que faz do Brasil o país rico, múltiplo e plural que somos.

Metodologia


Todas as atividades serão acompanhadas por trilha sonora especial, composta por ritmos e sonoridades de manifestações culturais diversas, com menção aos compositores e intérpretes para que os interessados possam conhecer melhor as produções artísticas.

Cada participante produzirá em média duas peças, que podem ser representações masculinas ou femininas, de acordo com a identidade que deseje lhes conferir, através de roupas e acessórios.

Como fonte adicional de inspiração, a Oficina Arte-Ylê inclui a biografia ilustrada de homens e mulheres afrodescendentes que fizeram e fazem história na arte, ciência, música, artes plásticas e empreendedorismo social, no Brasil e no Mundo.